Capela de Nossa Senhora dos Remédios


 
 
Capela de Nossa Senhora dos Remédios
ou Ermida de Nossa Senhora dos Remédios do Esporão
 

Considerada “umas das mais antigas propriedades rigorosamente demarcadas do termo ancestral de Monsaraz” (ESPANCA, 1978), a Herdade do Esporão encontrava-se já delimitada em 1267, pertencendo nesta época a Soeiro Rodrigues, juiz de Évora. No entanto, o morgadio do Esporão só seria instituído em 1427 por D. Teresa Anes da Fonseca, casada com Fernão Lopes Lobo.

Na segunda metade do século XV foi edificada dentro da herdade a torre, ou castelo do Esporão, por ordem de Álvaro Mendes de Vasconcelos, cavaleiro da casa do Duque de Bragança e regedor da cidade de Évora, que na época detinha o morgadio (GONÇALVES, 1975).

No início do século XVI, o morgado João Mendes de Vasconcelos, diplomata influente nas cortes de D. Manuel e D. João III, mandou edificar dentro dos limites da propriedade uma ermida, dedicada a Nossa Senhora dos Remédios (ESPANCA, 1978). Desde a sua edificação a capela tornou-se objecto de um "intenso culto popular" na região, que se manteve até ao século XVIII.

A capela apresenta uma curiosa estrutura coroada por merlões, de reminiscências militares, prolongando um modelo do tardo-gótico alentejano. O corpo principal da ermida é precedido por uma galilé de planta rectangular aberta por três arcos plenos, edificada no século XVIII.

O corpo da nave, de espaço único e planimetria rectangular, é totalmente desprovido de decoração, mostrando inclusivamente o aparelho rústico da parede fundeira, que corresponde à fachada principal. Este espaço é coberto por abóbada de aresta assente sobre mísulas de gosto manuelino, cujas chaves ostentam a Cruz de Cristo e o escudo de armas dos primitivos padroeiros.

A capela-mor, de planta quadrada e área menor que a nave, é também coberta por abóbada de arestas, com altar e nicho com imagem da padroeira. No entanto, todo este espaço é totalmente coberto com pinturas murais de exuberantes ornamentos de brutesco e molduras que integram alegorias marianas e do Espírito Santo, executadas em 1711, possivelmente por uma oficina eborense.

Cerca de 2002 a Finagra, sociedade agrícola proprietária da Herdade do Esporão, mandou restaurar a estrutura da capela, incluindo o conjunto de pintura mural.

 

_Localização
 Herdade do Esporão, freguesia de Reguengos de Monsaraz
_Tipo_Classificação_Decreto
 Arquitectura Religiosa Imóvel de Interesse Público 28/82, DR 47 de 26-02-1982
     
  
 
  -  Fonte
IPPAR – Instituto Português do Património Arquitectónico
 ​