Megalitismo

​​O concelho de Reguengos de Monsaraz testemunha bem o interesse milenar do Homem pela região que atualmente acolhe um dos maiores lagos artificiais de todo o continente europeu – o Grande Lago Alqueva.​

Das antas aos cromeleques, sem esquecer os menires (isolados ou em grupo), o concelho é o herdeiro privilegiado de mais de 150 achados arqueológicos deixados pelos nossos antepassados pré-históricos, que aqui habitaram há mais de 6000 anos.

Este conjunto de monumentos e vestígios de povoações megalíticas é o reflexo da sedentarização do Homem na região, favorecida pelas vastas e férteis planícies alentejanas.

A gradual fixação do Homem à terra impôs a necessidade de erguer fabulosos blocos de granito esculpidos, cujos objetivos primordiais se prendiam com a demarcação do terreno e, sobretudo, com a prática do culto à fertilidade e ao desconhecido, que se traduzia nos fenómenos atmosféricos.

Toda esta estreita relação existente entre os menires, a paisagem e as primeiras demonstrações de fé e crença em algo superior por parte do Homem pré-histórico revela um enquadramento na época do Neolítico antigo/médio. 

Estas terras, que já foram das mais densamente povoadas dos tempos pré-históricos, prometem uma experiência única aos amantes desta arte milenar.